/ Programação

Porque a faculdade não é necessária para se tornar um programador

O objetivo é passar, por meio desse texto, um pouco do que eu aprendi por meio de experiências próprias, sobre a caminhada de uma pessoa comum ao posto de Programador.

Primeiro, explicando um pouco do título que escolhi: obviamente a faculdade — seja ela de Ciência ou Engenharia da Computação, ou quaisquer outras na área de tecnologia — é de extrema importância para a formação de um profissional completamente qualificado, porém ela não é exatamente necessária. Podemos dizer que a frase “qualquer um pode programar” é uma quase verdade. Isto porque, como é uma predisposição do ser humano ter dificuldade com aquilo que não tem interesse, pessoas que não tem nenhuma afinidade ou gosto por computação e tecnologia teriam uma dificuldade quase infinita para aprender. Mas, para aqueles realmente interessados, a frase é 100% válida e, com a internet e a quantidade de conteúdo disponível que ela oferece, basta querer.
I-want-you
Para iniciar esse aprendizado, na minha opinião o principal pré-requisito é o domínio do inglês. Você não precisa ser fluente ou nada do tipo, mas é preciso ao menos conseguir ler textos e, ainda melhor, escutar e entender. A comunidade de programadores ao redor do mundo é muito grande e, em sua maioria, se comunica em inglês. Uma frase que eu gosto de falar é: se você tem uma dúvida, alguém já teve antes e já perguntou no stackoverflow.com. Acredite, na maioria das vezes, tanto a resposta quanto a pergunta estarão em inglês.

Falando dos finalmentes: Como começar? Qual linguagem? Qual curso?
frase
Isso costuma ser uma questão muito pessoal, porque existem diversas plataformas, pagas e gratuitas, para se aprender a programar, até mesmo no youtube.com existem milhares de séries que ensinam do básico ao avançado de provavelmente qualquer coisa relacionada a programação. Falando de experiência própria e apesar da minha relação de amor e ódio com essa linguagem, o que eu indico para um completo iniciante na programação é a famosa linguagem Java. Java é uma linguagem que nós chamamos de “verbosa” por seus métodos muitas vezes serem extensos e às vezes uma coisa simples como escrever um “oi” no terminal se torna um ‘System.out.println(“oi”);’ enquanto em outras linguagem mais novas como Python poderia ser resumido em simplesmente ‘ print “oi” ‘. Porém toda essa complexidade da linguagem Java faz com que, depois de aprendida, o aprendizado de outra linguagem se torne muito melhor, afinal é muito mais fácil aprender algo mais simples do que aquilo você já sabe do que aprender algo mais complexo, e dificilmente você vai tentar aprender alguma linguagem menos simples que Java.

Um curso que eu sugiro é do CodeOfProgramming no Udemy chamado “Java for complete begginers”. É um curso completamente gratuito e muito bem aprofundado, que desmembra e explica quase todos os recursos da linguagem e te ensina sobre o maravilhoso mundo de ‘Orientação-Objeto’. É claro que esse é um curso que não vai te transformar no melhor programador do mundo, afinal, como o nome já diz, ele é para completos noobs. Depois disso, você já estará preparado para se aventurar em coisas de nível mais avançado.

A partir desse estágio, então, como falamos aqui na Cubos, “deixe de miserinha” e compre um curso no Udemy ou em outro site de um assunto mais específico e se jogue de cabeça.
mimimi

O famoso “se joga, vei”

João Pedro Gouveia

Autointitulado chefe do departamento de Android da Cubos, programador ex estudante de geofísica, em engenharia civil e futuramente em engenharia da computação, que ainda não é formado em nada.

Read More
Porque a faculdade não é necessária para se tornar um programador
Share this