/ Series

Séries de TV x Tecnologia

Uma análise sobre coisas absurdas que vemos nas séries de TV que tentam falar sobre tecnologia e não conseguem.

Se as séries e filmes querem falar de tecnologia, hackers, internet, aplicativos, firewalls, elas precisam ao menos demonstrar coerência com a realidade. Estou aqui pra explicar alguns absurdos que aparecem.

Algumas séries de TV parecem ter como objetivo soberano contrariar tudo que faz sentido! Não sei você, mas em alguns episódios acontecem coisas tão absurdas que eu preciso parar para refletir sobre como o universo conspirou para eu estar assistindo aquilo…
bela-gil
Existem alguns exemplos clássicos de como os roteiristas podem ser malvados com o bom senso. Só para ilustrar, eu vou fazer uma listinha desses absurdos.

Melhoramento de imagem:
Você deve conhecer CSI, uma das maiores franquias de série do mundo. Tem o Miami, o Las Vegas, o NY, o Cyber. Só falta o CSI: Salvador. Pois é, eles também tem a melhor tecnologia de melhoramento de imagem do mundo. Observe (e chore):

Mais uma cena com recursos de ponta:

Nas cenas, a equipe aumenta a resolução da imagem e conseguem ver detalhes impressionantes pelo reflexo da íris ou dos óculos. A única explicação é que, em ambas as cenas, as pessoas foram fotografadas/filmadas pelo Telescópio Hubble.
Seria razoável afirmar que, para alcançar esses resultados, o equipamento utilizado teria que ter mais do que 10 mil megapixels de resolução. Imagine gravar algo nesta resolução, 24 frames por segundos, cada um com 10 mil megapixels, em alguns segundos (máximo 10) todo o HD estaria ocupado.

Então, gente, como já devem imaginar, isso é mentira. Cada pixel de uma imagem guarda apenas uma representação de cor e, em alguns casos, um canal alpha (transparência). Não dá simplesmente pra tirar informação do nada. Algoritmos de melhoramento existem, porém funcionam a partir da interpolação dos pixels vizinhos ou através de inteligência artificial, mas nada chega nem perto do que é mostrado nestas séries.

Invadindo sistemas:
Aqui jaz a série Castle:

Aiaiaiaiai…. Bleep bloop bleep bip lançar cybernuke!!!
Eu não tenho ideia do que seria um “firewall 70% hackeado”. Firewalls funcionam como barreiras entre redes. No caso do vídeo, entre a internet e a rede interna dos servidores atacados. Essas barreiras são compostas de regras básicas. Uma analogia com um prédio resultaria em: pessoa de short azul usando um penduricalho vermelho só pode abrir as portas dos apartamentos ímpares usando chaves de prata revestida com cobre.

O Firewall nem foi o pior, o que foi aquele cybernuke? Até agora eu estou pensando: WTF??

Cybernuke (definição usada na cena) é uma ferramenta digital capaz de causar uma dano absurdo na internet, teoricamente fazendo todos os sistemas do planeta pifarem.

Então, isso aí não é plausível. Existem, de fato, softwares para monitorar a rede e identificar possíveis ataques e invasões, mas dificilmente chegaríamos a um ~embate em tempo real entre hackers~. O rapaz do firewall poderia ter simplesmente desabilitado a rede para frustrar o ataque e então, a partir dos registros do sistema, identificar a brecha, consertá-la e só então reativar o sistema. Contra-atacar também é uma opção, mas não quando o risco é o vazamento de dados sigilosos.
matrix
Abaixo temos uma cena de Bones, bem absurda. Eu não vou falar que é impossível, mas se não for, é BEM PERTO disso. Seria como colocar uma estátua (com cores e taxa de reflexão definida) em um ponto turístico qualquer e, quando as pessoas tirassem fotos da estátua, seus celulares fossem hackeados. Como isso funcionaria: teoricamente aquela estátua, ao ser convertida em uma representação computacional, se tornaria um malware. Surreal! Não… isso não existe.

bones

Se for pra fazer errado, faça radicalmente:
scorpion

A série Scorpion às vezes se passa MUUUUIITO. Os caras tinham que restabelecer o sistema aéreo americano, que, para surpresa de todos nós, não tinha nenhum protocolo de emergência a ser seguido. A solução da série: pegar uma Ferrari, fazer o avião voar a 1 metro do chão (??), conectar um cabo ethernet pra fazer download do software rodando no avião para então restaurar o sistema.

No caso do episódio em questão, toda problemática surgiu da atualização do software que regia o sistema aéreo americano. Tal atualização introduziu um bug que inviabilizava as comunicações dos aviões, impedindo-os de pousar. No mundo real, não há a menor possibilidade de se atualizar um software para uma área sensível, como a da aviação, em escala nacional. Provavelmente, os testes seriam exaustivos até pra introdução em uma única torre de controle, o que deixa todo o resto da trama pouco crível.

Social Engineering

No mundo real (se você não é de alguma agência de espionagem), ao precisar invadir alguma coisa, simplesmente ligamos pra pessoa e falamos: “Oi, aqui é da Oi! Qual a senha do seu Facebook?”.

Viu? É bem fácil :)
Séries de TV x Tecnologia
Share this